Bloqueador de Selecao

domingo, 23 de julho de 2017

DEIXE O OUTRO SER ELE MESMO. SE LHE FAZ MAL, AFASTE-SE!


É muito simples. Assim como os cachorros latem e as pombas arrulham, os gatos miam e as mulas zurram, os patos grasnam e os cavalos relincham, as pessoas falam. E quase sempre falam o que querem, quando e como quiserem. Fazer o quê?

Diferentes das galinhas, que cacarejam quase sempre do mesmo jeito, pessoas se expressam de modos diversos. Porque são diferentes, ora essa! Têm vozes distintas, pontos de vista discrepantes, impressões variadas sobre a vida. Logo, dizem, pensam, sentem e fazem coisas desiguais.
Importa mesmo é que ninguém é obrigado a concordar com nada. Aliás, discordar e divergir não é só um direito de cada um. Quase sempre é um dever! Eu posso e devo discordar de quem faz algo que me ofende ou agride. Aceitar, jamais. Nem em nome da boa convivência! Se eu não aceito, eu me manifesto. E aí é que está: pessoas também são diferentes em seu jeito de se posicionar contra o outro. Tem gente que xinga, que briga, que bate, gente que tenta conversar, explicar, mudar a opinião e o jeito de ser alheios. E tem gente que dá as costas e vai embora. Deixa o outro ser quem ele é e pronto. 
A vida é um sopro. Pra que jogar tempo no lixo? Escolho outras pessoas com quem estar ou sigo em frente só. Agora, tentar mudar o outro, transformar as visões e atitudes arraigadas em seu jeito de ser, “corrigir” à força o que achamos errado, aí já é um pouco demais. Tiro n’água, murro em ponta de faca, peteleco na própria orelha. Perda de tempo.
Afinal, o outro não é obrigado a pensar como eu. A sentir como eu sinto. A fazer o que eu faço. Se assim fosse, ele seria eu. E não o outro.
“Ouvir” o outro não significa necessariamente “concordar” com ele. O fato de eu discordar de alguém não quer dizer que eu me recusei a escutá-lo. Eu ouvi e não concordei, ué. Deixemos o outro ser quem ele é: o outro. 
(André J. Gomes - www.contioutra.com).

quinta-feira, 13 de julho de 2017

NÃO CAIA NA ARMADILHA DO RESSENTIMENTO.



Sim, você recebeu um tratamento péssimo daquele cliente, daquele namorado, do professor, do seu marido, dos seus pais, dos seus filhos, dos vizinhos, do seu chefe, dos seus colegas, dos amigos, críticos, do cachorro…
Você tem toda razão em ter sentido mágoa, tristeza e desapontamento quando isso aconteceu. Mas sentir tais coisas só tem lógica se for naquele momento. Nunca mais. Se você está, ainda hoje, sentindo essa decepção, essa tristeza, essa mágoa com outra pessoa, então você está ressentido, com ela. Veja com atenção o significado da palavra ressentimento: RE-SENTIMENTO. Sentir novamente; Sentir infinitamente, para alguns.
Qual a razão de usar sua mente para sentir novamente coisas ruins, fragilidades e decepções?
Sentir coisas ruins novamente não tem absolutamente nenhuma função, exceto prender você ao passado e tornar você uma eterna vítima de alguém que nem mesmo está tentando prejudicar você mais.
Ao guardar qualquer ressentimento você está se acorrentando a alguém que lhe fez mal, mesmo que essa pessoa não queira mais isso. Você está re-sentindo a dor que só existe em sua memória. A outra pessoa, por pior que tenha sido, não será prejudicada por seu ressentimento. Mas você será.
Você desperdiçará momentos únicos das suas vinte e quatro horas para pegar o punhal que alguém usou contra você há semanas, meses, anos ou décadas atrás e, acredite ou não, você mesmo estará se apunhalando dia-após-dia, com seu re-sentimento. Se o caso for tão grave que tenha que ser resolvido em tribunais, deixe advogados cuidando disso e se concentre em sua vida e sua felicidade.
Não caia na armadilha do ressentimento. Viva o momento que estiver vivendo. Esqueça as coisas ruins do passado. Ele não existe mais.
E, se mesmo com toda a lógica do mundo, você ainda estiver “sentindo re-sentimento” e mágoa de alguém, lembre-se do que disse William Shakespeare: “Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra".
(André Luiz)

domingo, 2 de julho de 2017

FAÇA ACONTECER (EM SI, PRIMEIRAMENTE).



"Quando percebi o quão importante é ter paz, resolvi dar paz ao outro.

Parei de buscar meias explicações para meias verdades. 

Numa discussão todos têm sua parcela de culpa, suas obsessões e posses. 

Ninguém é livre de erros e a insatisfação acontece quando esperamos demais da outra pessoa.

Julgar o que o outro diz escolhendo a dedo é fácil, difícil é colocar-se no lugar, ser empático o suficiente para buscar entender as dificuldades que fizeram fechar o caminho entre mim e o outro. 

Estou aprendendo e reconheço minhas falhas. 

Cheguei num ponto da vida que preciso dizer ao outro que não tenho mais mágoas e não desejo o pior dele(a) em hipótese alguma. 

Quero mesmo é toda gente sorrindo, de alma livre e leve, para multiplicar com outras pessoas e acertar nessa nova chance que a vida cuidadosamente oferece.

Se renascer é perdoar-se, abra então as janelas e sinta a vibração positiva chegando. 

Abençoe. 

Desfaça os nós. 

Voe. 

É simples. 

Mais fácil do que ficar arrumando desculpas. 

Não espere, faça acontecer (em si primeiramente)."


( Vitor Ávila )


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...